Visitantes do blog

sábado, 20 de outubro de 2018

Em prece pela nação - poetisa Anne Karolynne


Declamação: Em prece pela nação

Resultado de imagem para prece nação


Estou muito preocupada Com o futuro do Brasil Fico até angustiada Coração a mais de mil Vejo ódio se espalhando Vejo pessoas brigando Com palavras de agressão E em meio a esse tormento Eu estou, nesse momento Em prece pela nação. Peço a Deus para mostrar Qual caminho pra seguir Que Ele possa inspirar Que Ele possa nos unir Que nos dê sabedoria Que seja Deus nosso guia Pra tomar a decisão Com Ele em meu pensamento Eu estou, nesse momento Em prece pela nação. Meu Deus, ilumina a alma Do meu povo brasileiro Traz união, paz e calma Com teu amor verdadeiro Acalma essa tempestade Com tua doce bondade... É pra ti minha oração Com todo meu sentimento, Eu estou, nesse momento Em prece pela nação. 🙏🏽 Poetisa Anne Karolynne @cordelpersonalizado Está em suas mãos a chance de decidir o futuro de nosso país Não deixe essa oportunidade passar... Muita paz a todos

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Reflexão sobre a paternidade em cordel


Reflexão sobre a paternidade em cordel
Autora: Anne Karolynne Santos de Negreiros



Vou trazer na poesia
A minha reflexão
Sobre a paternidade
E dizer minha opinião
Pra mim, o pai representa
Quem a família sustenta
Com exemplo e educação.

Quem dá orientação
E quem mostra o caminho
Quem pega na mão do filho
Se ele estiver sozinho
Quem mostra, com seu amor
Que até na mais bela flor
Também existe espinho.

Pai é o que dá carinho
Figura de autoridade
É assumir a missão
Da sua paternidade
Com os laços fraternais
Mais até que os corporais
Mais que a consanguinidade.
.
Pois pra ser pai de verdade
Não é preciso gerar
É assumir o compromisso
De o seu filho criar
Ter o cuidado na essência
Pra o filho ser referência
Com seu jeito de cuidar.

É preciso respeitar
O nosso pai, afinal
A afeição é recíproca
E o nosso amor filial
Deve ter honra na essência
Durante a convivência
Com a figura paternal.

Nem sempre é natural
O pai saber sua função
Cuidar do filho com amor
Também com dedicação
Mas mesmo o pai ausente
Também merece o presente
De ter do filho o perdão.
Quando está ancião
E está mais fragilizado
Há inversão de papéis
Pois precisa ser cuidado
Ao filho cabe o dever
De cuidar, de proteger
Fazê-lo sentir amado.

Dizer muito obrigado
Meu pai, por eu existir
Por eu ser hoje quem sou
Me ajudando a construir
O caminho de minha vida
Na subida e na descida
Que ainda estou a seguir.

Agora, pra concluir
Eu não posso esquecer
De Deus, nosso Pai maior
E a ele agradecer
Por estar sempre presente
Em toda a vida da gente
Na alegria e no sofrer.

Pode até alguém dizer
Que nessa vida não tem
Mais o seu pai ao seu lado
Só a lembrança convém
Mas Deus está com você
Até quem nele não crê
Ele está com esse alguém.

Não abandona ninguém
Deus é pai, não importa a hora
Ele está ali presente
Com todo aquele que ora
E quem nele não acredita
Ele também faz visita
Não deixa ninguém de fora.

Vou encerrando agora
A minha reflexão
A todo pai eu estendo
Meu poema e gratidão
A todos desejo paz
Um feliz dia dos pais
E agradeço a atenção



sábado, 19 de maio de 2018

Cordel: luta antimanicomial


18 de maio, a luta
Antimanicomial
Em protesto aos hospícios
Um grito universal
Em prol da dignidade
Do direito, humanidade
E da saúde mental.

A pessoa em sofrimento

Já foi muito excluída
Torturada, isolada
Por tempos foi esquecida
Mas precisa de assistência
Ser ouvida em sua essência 
Para que seja acolhida.

O cuidado ao sujeito
Deve ser satisfatório
Seja no posto ou no CAPS
Ou mesmo no ambulatório
Não se pode haver desprezo
Ao invés de estar preso
Deve estar no território

Chamar de louco, maluco?

por que chamar desse jeito?
Quem tem transtorno mental
Precisa de mais respeito.
O sofrimento que for
Precisa de mais amor
E também de ser aceito.

Seja esquizofrenia
Pânico ou depressão
Um transtorno bipolar
Nas drogas, adicção
O rótulo é irrelevante
Porque o mais importante
É saber que é cidadão.

Segregar não é o caminho

Mas acolher e escutar
Promovem a inclusão
Pra ressocializar.
Quem sofre, quer mais carinho
Este sim é o caminho:
Incluir, ouvir, cuidar.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

CORDEL: AVANTE, ENFERMAGEM




CORDEL: AVANTE, ENFERMAGEM
Autora: Enfermeira e cordelista Anne Karolynne
Campina Grande/PB



Enfermagem é arretada
E é profissão de valor
Tem técnico, auxiliar
Tem enfermeiro, o doutor
Sabe o que é que tem? Espere:
É Florence, Ana Nery
Tudo unido, sim senhor!

Profissão de competência
Cuidado, dedicação
Trabalho com compromisso
Respeito, humanização
A enfermagem é arte
Tecnicismo faz parte
Desta fundamentação.

O enfermeiro tem saber
E o cuidado é sua essência
Sempre em prol do ser humano
Na gestão, na assistência
Também na universidade
Muito mais que caridade
Enfermagem é ciência.

Tentaram destituir
Os direitos da enfermagem
Desmerecendo a função
Denegrindo sua imagem
Retirando seu direito
Porém não tiveram efeito
Pois a classe tem coragem.

Enfermeiros se uniram
Em prol desta profissão
Pois eles têm portaria
Decreto, legislação
Eles tem conhecimento
Tudo seu tem fundamento
E num tem boquinha não.

Não venham querer pisar
Nos calos do enfermeiro
Porque ele é arretado
Unido e muito guerreiro
Cuidar do povo é seu lema
E então nesse seu esquema
O seu trabalho é certeiro.

Não vão tirar as conquistas
E não vão desmerecer
Quem luta por seus direitos
Para saúde promover
Para ter autonomia
De fazer no dia-a-dia
Tudo o que sabe fazer.

Avante na luta, enfermagem
Pela valorização
30 horas de trabalho
Respeito, mais atenção
Com os saberes na bagagem
Caminha, assim, a enfermagem
Com a força da união.










quarta-feira, 2 de maio de 2018

O cordel sexagenário: A história de Ari

Retratar 60 anos de história nos versos do cordel é um desafio que a gente adora!


Abril é um mês de festa
Porque tem aniversário
De um cabra que é arretado
Pra família, um relicário
E em dois mil e dezoito
Chega ao sexagenário.

Seu nome é Arimateia
Tem um mói de apelido
Tem quem chame de Zezinho
Por Ari é conhecido
Seja Mateia ou Zé
Por todos ele é querido.

Vejam como ficou o vídeo contando a divertida história do Ari, de Areial/PB: 

domingo, 1 de abril de 2018

Qual o sentido da vida?

Nesta páscoa me peguei pensando no que a vida significa pra mim e escrevi estes versos em cordel